O presidente nacional da OAB, Ophir Cavalcante, afirmou ontem (21) que todos os advogados envolvidos direta ou indiretamente na fraude ocorrida na 3ª edição do Exame de Ordem 2009 responderão a processo ético-disciplinar no âmbito da entidade e, comprovado o envolvimento, poderão ser excluídos dos quadros da OAB.

Ontem (21) o saite G1 publicou matéria jornalística informando que os acusados de chefiar a fraude no Exame da Ordem de 2009 serão processados pela venda de gabarito, assim como no caso do concurso de agente da Polícia Federal. O grupo seria formado por um casal, seu filho, um policial rodoviário federal e advogados. Ao todo, 64 pessoas são acusadas pela fraude na prova da PF. Dessas, 53 são candidatos que teriam se beneficiado do esquema.

A quadrilha foi descoberta pela própria PF durante a Operação Tormenta, deflagrada em julho, e que apura irregularidades também em outros concursos públicos. (Com informações da OAB)

Até mais,
Ana Paula Mello